BEM VINDO! WELCOME! BIENVENUE! BIENVENIDA

NÃO ESQUEÇA DE POSTAR SEU COMENTÁRIO. GRATA.

terça-feira, 11 de março de 2014

NEBRASCA - Filme

Assisti ao filme Nebrasca estes dias.


Este filme não é para pessoas que curtem o glamour ou as histórias açucaradas e fantasiosas de Hollywood. Filme "seco";  para mim é uma tragédia com pitadas de algum humor nervoso.
Fala de um modo direto sem rodeios da velhice, doenças, dores, solidao e  os sonhos nessa fase da vida .
Um homem velho (o ator Bruce Dern, que vive muito bem o personagem principal Woody Grant), em minha idéia  um  alcoólatra e esclerosado que vai em busca de um "sonho" contando com  ajuda de seu filho - o ator Will Forte, faz o filho dedicado - David.
Elenco todo muito bom e chamo mais uma vez para a fotografia em P&B que mostra uma realidade como deve ser neste caso o que ajuda e muito a mostrar a "crueldade" da vida em alguns casos,  e nela as nuances das relações pessoais.

Gostei.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

USANDO TRANSPORTE PÚBLICO(E SE ARREPENDENDO)

Fico pensando no prefeito do meu querido RJ ( e sua corte como o secretário de transportes e o....!!!!hum!!!!.... ..... secretário municipal de transporte). Nossa! Quanta inabilidade!
Como conseguiram transformar o centro do Rio em um "nó". Fora os moradores da cidade, quem mora em Niterói, São Gonçalo e acho que Maricá, tem algumas alternativas para chegar ao centro do RJ.
1) Você pode comprar um carro anfíbio (vocês dirão: " e as barcas?") bem meus amigos, ela não está dando conta ok. E vai piorar.
2) Talvez você prefira um avião. Já que você pode descer de "paraquedas" em um lugar fácil para você chegar ao seu compromisso ou em sua casa -  "na ponte hoje estamos levando a tempo mínimo de 1h30 até 2horas e "os estudiosos competentes" tiraram os pontos quase todos do centro da cidade. Ex. Você quer ír nas imediações da rua do Rosário, Teófilo Otoni, Miguel Couto, Sete de Setembro etc.... - ou você desce na Av Presidente Vargas, na Central do Brasil (um pouco depois do  Campo de Santana, e anda muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito) ou você pode optar por descer na Av Chile e andar muuuuuuuuuuuito. Fácil né!?
E estou procurando outros "transportes públicos já que os trens e metro também não funcionam, lógico, e não atendem a toda , aliás já não atendiam antes desta "baderna total" que se tornou chegar ou sair do centro para outros lugares (não falaremos da Zona Sul ok)?
Cartas para casa do prefeito Ok?
P.S.: Complementando: Os pontos finais dos  onibus comuns (não frescões) de Niterói estão todos agora na cracolandia que existe colada a Igreja Candelária. Ali mesmo. Bom né?

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

FAZEM BEM SEU TRABALHO

Pois parece redundância mas não é.
Muito bom quando encontramos profissionais que amam e se dedicam a profissão/ofício escolhido.
Em todas as áreas é necessária tal amor. Seja você ator/atriz, motorista, aprendiz de algo útil, engenheiro, professor, etc...mas aqui quero ressaltar o pessoal da área da saúde já que lidam com nosso bem maior.
Hoje mais uma vez tive prova do que sempre argumentei.
Depois de alguns anos tentando fechar um diagnóstico para dar-me uma resposta, finalmente pude pegar um laudo, mesmo que seja até a presente data, para uma doença "pesquisada".
"Nossa Senhora dos Médicos" a Dra. Ana Rosélia é mais uma dessas pessoas que amam o que fazem e por causa disso, fazem bem.
Aliás tenho encontrado muito bons profissionais.
Muito feliz e descansada estou.

P.S.  A tela é de São Lucas mostrando uma pintura de Maria. Pintado por Giovanni Francesco Barbieri(conhecido por Guercino)
 



domingo, 23 de fevereiro de 2014

FILMES COM HISTÓRIAS QUE SE CRUZAM

Comecei a semana com o filme "Caçadores de Obras-Primas".
Com elenco estrelar bem ao estilo de Hollywood - Cate Blanchett, Bob Balaban, John Goodman , Matt Damon e George Clooney que além de atuar dirigiu o filme e tendo como pano de fundo novamente a segunda guerra mundial e os desmandos de Hitler - igual ao "A Menina que roubava livros" -  que também foi ambientado nesta parte da história (daí o título da postagem) -  o filme fala de episódio pouco conhecido da maioria das pessoas, pelo menos penso eu.
O resgate de obras de artes que foram surrupiadas de vários lugares do mundo aonde o insano Adolf Hitler e suas tropas passaram.
O filme valeu mais para poder apreciar algumas pinturas lindas e que não tive e nem terei  oportunidade de apreciar e ficar estarrecida com a total insensibilidade do"ditador, pintor frustrado".

Na mesma semana fui assistir  "Philomena".
Este sim foi o melhor  filme que assisti!
Nossa! Que história!
Um filme britânico com toques de humor.
Mais um com base em história real ocorrida na rígida Irlanda de 1950.
O elenco principal é maravilhoso, com uma Judi Dench (perfeita na personagem) e que está concorrendo ao Oscar por conta de sua atuação e Steve Coogan que foi também coprodutor .
A história fala da uma mãe que durante cinquenta anos guardou o segredo de ter seu filho "arrancado" de seu braços por conta de "um moralismo" ditado pela igreja.e que um dia resolve ir em busca de seu passado.
Emocionante e faz pensar o quanto a igreja sempre usou de sua força para fazer prevalecer o que achava certo em nome de uma moral, mesmo obscura e decadente, daquela época.
Super recomendo.
P.S. Soube que a verdadeira Philomena foi a Roma (ela sempre foi muito religiosa) e esteve com o Papa.



quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

DITADURA (RESISTIR É PRECISO)

Uma exposição que estreou essa semana idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog  e que é um passeio pela história de nosso país (período negro, não nego)  é "Resistir é preciso....".
Recomendo esta belíssima exposição para todos que viveram tudo, que não viveram tudo (meu caso) e aos que não conhecem nada, muitos atualmente, sobre a Ditadura no Brasil quando a liberdade de expressão de todas as mídias foi cerceada, quando muitos foram mortos defendendo seus ideais e mesmo assim ninguém escondia o rosto atrás de máscaras ou qualquer artifício que impedissem seu reconhecimento.
Quando houve uma passeata de cem mil e mesmo assim pouca coisa do patrimônio público foi destruída.
Com uma linha do tempo que começa com a Guerra Fria (1945) e culminando com as Manifestaçoes no Brasil (2013), Resistir.... fala de tudo que houve no Brasil naquela época e de como a imprensa resistiu, se expandiu clandestinamente e no exílio; de como as artes tiveram papel importante pedindo democracia e nos fazendo pensar em tudo que estava acontecendo. Eram outros tempos bem sei mas muito e muitos ainda estão aí até hoje..
Relembrando músicas e festivais, revendo cartazes de peças no Teatro Opinião, trabalhos de artistas plásticos que incentivavam a todos.
Enfim, é um trabalho muito bem feito e que as escolas deveriam levar seus alunos para terem uma nossa da história de nosso país.

"Quando perdemos a capacidade de nos indignarmos com as atrocidades praticadas contra outros, perdemos também o direito de nos considerarmos seres civilizados". Vladimir Herzog

P.S. Fiquei emocionada com alguns fatos e principalmente de ver a definitiva certidão de óbito do Vladimir Herzog.
© Foto de Evandro Teixeira. Passeata dos Cem Mil. Rio de Janeiro, 26 de Junho de 1968.( No palanque Vladimir Palmeira discursando)

IRMAOS DE SANGUE (TEATRO)

Assisti essa semana um espetáculo inovador para mim.
Aliás só assisti ao espetáculo graças a indicação da atendendo do café.
Peguei os folhetos e enquanto esperava perguntei sobre as peças apresentadas, então ela falou-me de Irmãos de Sangue.
Quando li sobre a ela, confesso que fiquei muito curiosa. Ninguém iria dizer nada! Seria só no gestual.
Comprei o ingresso, já com uma certa antecedência (uns dias de antes)  pois o  espetáculo está bem concorrido.
O "texto" é narrado só no gestual e com auxilio também de um bem engrenado cenário e objeto cênicos.
E contada a história das relações de uma família.
Uma delicada encenação mas não por conta disso menos forte nas horas precisas.
São quatro atores em cena que a cada movimento nos fazem emitir sons de surpresas e exclamação.
Dois atores com formação teatral no Brasil se encontram na França e resolvem trabalhar juntos em algo novo (para o conceito brasileiro quero dizer).
Excelente espetáculo que recomendo com toda energia  "merda" para os atores.
Vale cada minuto.

BONS FILMES QUE ASSISTI

Este início de ano está (2014) ótimo em termos da sétima arte.
Há muito não frequentava tao assiduamente as salas. Confesso que já fui mais cinéfila mas tenho sido acometida de "preguiça aguda" misturada com falta de bons cines  aonde moro, então vira um binômio perfeito para acomodação.
Mas vamos lá ao que mais gostei até agora.
Deixo claro que é uma ordem aleatória.
Assisti em janeiro ao filme italiano "La Grande Bellezza" (A grande beleza) - achei exagerado (como tudo na Itália/Roma, principalmente), sobre a decadência daquela sociedade.
Acho que o fato de ter entrado com o filme já com uns cinco minutos de início - por total da falta de organização do Itaú Cultural - contribuiu um pouco para minha decepção.

Continuando na linha de filmes europeus,  fui ver o frances  "Elle s'en va" (Ela vai). Uma comédia dramática sobre a vida de uma mulher madura (aqui interpretada pela maravilhosa e ainda belíssima Catherine Deneuve, realmente musa) que um belo dia acorda para a vida e resolve sair "para comprar cigarros".
Sei que o tema não é novo mas aqui ficou muito bem e com um ar renovado - além da Bela da Tarde há um elenco muito bom para dar o apoio necessário a trama -Nemo Schiffman, Camille Dalmais, Hafsia Herzi, Valérie Lagrange -  e o  filme possui uma linguagem de diário de bordo, pois te faz embarcar na viagem que a personagem-título enfrenta ao longo dos dias e mostra uns vilarejos franceses pouco conhecidos.. Recomendo. Achei bem legal.

E chegou fevereiro e comecei  com o indicado ao Oscar (não ligo para isso esse tipo de opiniao) "Trapaça".
Fui sem grandes expectativas mas já havia escutado uns comentário sobre os atores etc. 
Eu estava entre ele e o Lobo de Wall Street. O Lobo perdeu por conta de ser longo demais, pelo menos para mim; filmes com mais de três horas de duração só curto ver em casa e seus horários de exibição não "batiam" com os meus.
Lógico que já assisti muitos longas, longos. Mas atualmente sou inquieta em demasia,  mas voltando ao "Trapaça", ele já me interessou por ser baseado em algo real, que sempre gosto, mas creio que o grande trunfo do filme é seu elenco.
Nossinhora do cinema (acho que é Santa Clara?), que elenco maravilhoso!!!
Um filme que conta a história de algumas  pessoas que tem o "dom vamos assim dizer" de enganarem todos os outros.
O filme é ambientado em 1970 - muito bem recriado, creio eu.
Com direito a fundo musical com Donna Summer, Santana dentro outros.
E chamo atenção para um "solo" da estonteante Jennifer Lawrence. Excelente!
Soube que será apresentado em Berlim.

Finalmente fui assisti ao comentado, badalado  "The book  thief"(A menina que roubava livros).
Não li o livro.
No caso de histórias tiradas dos livros lançados ouço as pessoas reclamarem que o filme "não é fiel ao livro".
Analisando:
- no livro, você é que cria a história em sua cabeça; as locações e tudo mais são "inventadas" no seu imaginário enquanto em um filme você tem a visão do produtor, roteirista e toda uma equipe que traduz e transforma o livro para ser mais comercial (na grande maioria das vezes) e que tem visões distintas sobre o que foi escrito. Por algumas vezes as idéias daqueles profissionais coincidem com a nossa e aí vemos mais ou menos o que imaginamos. Porém, é verdade que em outras ocasiões criamos uma expectativa, não verdadeira quero deixar claro, sobre livros, lugares, pessoas etc e quando vemos a realidade ficamos um pouco no ar.
Normalmente não vou esperando muito de tudo que li.
Embora as pessoas comentem sobre a história da menina, sua vida, seus livros e tudo mais, o que mais chamou-me atenção foi a história contada, em off,  e tendo como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial na Alemanha nazista, comandada por  Hitler. Uma Alemanha  que falda dos mais pobres, dos jovens que eram obrigados a cumprir deveres militares e dos inúmeros sacrifícios que todos deviam fazer para proteger os mais afligidos. A menina que roubava livros é um elo condutor  para mostrar como aqueles tempos eram difíceis  e o quanto o povo sobre com essa barbárie.
Recomendo muito, principalmente para pessoas que como eu, adoram história e cultura geral.